Há terras que quase se beijam.
Há terras que se dão as mãos por baixo das correntes
e com a esperança de que a maré não recue tanto como para serem descobertas.
Há terras que estão condenadas a se olhar pela eternidade.
Há terras para as quais o Fado guarda sortes de línguas de areia que cheguem até a outra margem.
Há pessoas que quase se beijam.

 

Foz do rio Minho, desde o monte de Santa Tecla.
Do lado esquerdo da imagem, Caminha (Portugal).
Do lado direiro da imagen, A Guarda (Espanha).
No meio, a ilha, o Forte de Nossa Senhora da Ínsua.
Lele Sorribas. 2011
Anuncios

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s